Atenção!A página impressa é diferente da página exibida na tela do computador.
Precisando do nosso logo? Baixe-o em um dos seguintes formatos:
Vetorial (.svg)|Rasterizado em alta resolução (.jpg)|Ícone (.ico)
Obs.: não utilize nossa marca sem autorização.
Feito!
Erro!

Esqueci minha senha
Ouça ao vivo
Logo Google play-50-28Baixar App p/ AndroidLogo apple itunes-50-30Baixar App p/ iOs

Violão destruído em `Os oito odiados` era antiguidade e museu está furioso

Anterior ▲Próximo ▼

Personagem de Kurt Russel arrebenta instrumento usado por Jennifer Jason Leigh

 
« Última» Primeira
ImprimirReportar erroTags:londres, ninguém, contado, ator, informação, continua, sabíamos e russel289 palavras4 min. para ler
Violão destruído em `Os oito odiados` era antiguidade e museu está furioso
Ver imagem ampliada
LONDRES — O Martin Guitar Museum não pretende voltar a emprestar instrumentos musicais para filmes nunca mais, depois que um violão de seis cordas da década de 1870 foi destruído durante uma cena de “Os oito odiados“, de Quentin Tarantino.
Se você viu o filme, vai se lembrar da prisioneira Daisy Domergue (Jennifer Jason Leigh) tocando de forma melancólica quando John Ruth (Kurt Russell) toma o violão e o arrebenta inteiro.
“Nos informaram que havia acontecido um acidente na gravação“, disse Dick Boak, diretor do museu. “Imaginamos que um andaime ou algo assim havia caído sobre ele. Entendemos que essas coisas acontecem, mas ao mesmo tempo não podemos ser coniventes.“
Mark Ulano, técnico de som do filme, disse ao SSNUnsider que a cena deveria ter sido cortada para que o violão original fosse substituído por uma cópia, que então seria destruída.
“Tudo isso sobre o violão destruído estar no roteiro e ninguém ter contado ao ator, isso é informação nova para nós“, continua Boak. “Não sabíamos nada sobre o roteiro ou sobre Kurt Russel não ser informado que tratava-se de um artefato inestimável do Martin Museum.”
“Bem, de alguma forma isso não foi comunicado a Kurt, então quando acontece em cena, a reação de Jennifer é genuína”, explica Ulano.
Para piorar, o violão só tinha seguro para seu preço de venda, muito inferior ao valor de um artefato de museu.

“Fizemos uma inspeção nas peças e percebemos que o violão não pode ser consertado. Está destruído“, disse Boak. “Não podemos acreditar que isso aconteceu. Recebemos o valor do seguro, mas não é pelo dinheiro e sim sobre a preservação da história da música americana. Como resultado desse incidente, a empresa não vai mais emprestar instrumentos a filmes sob nenhuma circunstância.“


Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it

Texto curta nosso site.PNG

Patrocinadores

UnoChapecóUnimed Chapecó